< img height = "1" width = "1" style = "display:none" src = "https://www.facebook.com/tr?id=680156339038325&ev=PageView&noscript=1" />

Os 4 erros comuns ao aplicar Gamificação em Empresas

Gamificação em empresas ou Gamification é uma excelente estratégia para engajar pessoas e aumentar a produtividade. Por motivos muito simples: envolvem pessoas, desafiam, empoderam e dão feedbacks constantes.

A aplicação da Gamificação em Empresas tem sido uma ferramenta poderosa para o alcance dos objetivos traçados.
Objetivos esses que podem estar relacionados ao faturamento, vendas, cultura e até mesmo recrutamento.

São estratégias com foco em desafios e conquistas que estimulem o colaborador a usar a capacidade máxima das habilidades.
Não é demais?
Sim. Mas, nem sempre a gamificação é usada de forma estratégica ou correta. Separamos nesse post os 4 principais erros cometidos ao aplicar a Gamificação em Empresas.

Vem ver.

1 – Não ter objetivo claro

Quando se traça as estratégias de gamification em empresas, é importante ter o objetivo claro do jogo. Se esse objetivo estiver muito difuso e ter muitas variações, tem chances de terminar em fracasso.
Por um motivo muito simples: os participantes não vão perceber o que realmente precisam colocar em prática para alcançar o resultado esperado.
Isso desestimulará os participantes, que são essenciais para o sucesso do jogo. Portanto, tenha um único objetivo, por exemplo: alcançar 200 vendas no ano.
A partir desse objetivo, é possível criar os desafios e os prêmios para quem alcançar a meta.


 

Leia também: O que é Gamificação e como aplicá-la?

2 – Se preocupar apenas com o objetivo corporativo

Esse é um erro clássico. Muitas empresas pensam apenas no objetivo final dela. O que é considerado um erro para a Gamificação.
Uma vez que a gamificação trata-se de desafiar pessoas. Portanto, se o objetivo do colaborador e do jogador não forem observados, a estratégia pode falhar.
O gamification precisa fazer sentido para o jogador/colaborador. Ele deve ver uma razão para estar ali, por fazer parte do jogo. Precisa ser desafiante e que nos estimule a usar a nossa máxima capacidade de habilidade.

Assista também esse vídeo sobre os erros em Gamificação

3 – Processo muito competitivo

Parece controverso dizer isso, mas quando o jogo é desafiador demais pode falhar. Imagine só uma empresa com equipes extremamente competitivas.
Quando se estabelece um processo mais competitivo ainda, o clima pode piorar e criar um ambiente conflituoso. E esse não é o objetivo da gamificação. Deve existir a competição, mas ela precisa estar balizada entre cooperação e conquista.

4 – Falta de equilíbrio entre o desafio e a realização

Quando pensamos em Gamificação já pensamos em algo desafiador, que tire as pessoas da zona de conforto.
Faz sentido. Mas, lembra que já dizemos acima que o game precisa fazer sentido para o jogador?
Pois é, neste caso os desafios precisam estar alinhados com o público dele. De nada adianta criar desafios difíceis demais ou fáceis demais.
A pessoa pode ficar estressada e entender não ter capacidade para conquistar os níveis. Ou pior achar que o jogo é bobo e não participar.
É importante pensar em níveis de desafios crescentes que estejam alinhados com o público.

 

Conclusão: Gamificação em Empresas

Aplicar Gamificação em Empresas é uma estratégia muito interessante. Você pode usar as técnicas de game para engajar equipes de diferentes áreas. Mas, é importante estar atento para não errar e tornar a estratégia em um fracasso.

Conte conosco. Podemos auxiliar em todo o processo.

 

Gostou deste conteúdo?
Cadastre-se em nossa newsletter.

 

Um abraço


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.